terça-feira, 17 de novembro de 2009

Suely Vilela (reitora da USP) e o plágio

Caros leitores, algum de vocês pode achar que é uma coisa óbvia, mas acho importante falar: não dá para engolir a defesa que a reitora da USP, Suely Vilela, apresenta para as acusações de plágio que pairam sobre seu grupo de pesquisa, relatadas ontem em reportagem de Eduardo Geraque.

(...)

Qualquer cientista sabe que, em um estudo com número muito grande de autores, poucos são aqueles que escreveram mesmo algo ou atuaram efetivamente na pesquisa que originou ou trabalho. Muitos nomes entram por razões bem paroquiais e pouco "autorais", como empréstimo de material para experimentação, cessão de dados etc.

É comum até mesmo o etéreo "empréstimo de prestígio", quando se trata de um cientista mais conhecido. Um nome de fama no meio acadêmico abre muitas portas --sobretudo portas de revistas científicas cujos artigos são revisados por outros cientistas. E um cientista, como qualquer outro ser humano, é um animal político. Em troca de emprestar seu nome, o figurão engorda seus números de produtividade de artigos sem ter muito trabalho. Alguns cientistas acham isso errado, outros acham que faz parte do jogo. Tanto faz.

O problema é que essas particularidades do sistema de publicações científicas nunca são debatidas quando o que está em evidência é o mérito de um trabalho, e não sua desgraça. Se o plágio do referido estudo nunca tivesse sido descoberto, provavelmente o artigo serviria apenas para entrar na conta do cientista sênior, engordar os valores de suas bolsas de estudo e somar pontos em avaliações acadêmicas.

(...)

Leia mais em http://bit.ly/3cUcvG

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! Não uso verificação de palavras.

Receba as postagens deste blog por email