sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Exercício físico é eficiente para controle e perda de peso?

Comentário do Danilo Balu no post de hoje do Blog Recorrido:

"Off-topic: um vídeo de uma aula/palestra fantástica de 39 minutos (em inglês e sem legendas) que deveria ser dada em TODA faculdade de Nutrição e Educação Física para tirar esses 2 cursos do limbo e atraso de décadas. Nela se explica com estudos que apesar de ser uma ferramenta FANTÁSTICA e ESSENCIAL para melhorar a qualidade de vida, o exercício físico é PÉSSIMO e MUITO INEFICIENTE para controle e perda de peso. Quando falei pela primeira vez sobre não ir nunca a um Nutricionista, CHOVEU profissional burro e incompetente latindo o contrário. * dica das melhores do Adolfo Neto."


6 comentários:

  1. Há tempos que gostaria de questioná-lo com essa dúvida que sempre me persegue. kkkk...Só agora consegui formulá-la.
    Concordo com tudo que escreve e acompanho o Balu diariamente também. Não vi o vídeo por causa do inglês. Sobretudo ainda tenho dúvidas sobre esse tema.Considere:

    Baseado nessas afirmações sobre, exercício não tem relação a controle de peso.
    Como é explicado o grupo dos atletas ?

    Atletas profissionais estão sempre com o peso ideal (claro que existem exceções), corpos definidos (dependendo da atividade atlética) e quanto mais aeróbico for o esporte, mais magros eles são.

    Algumas considerações:
    1 - Sabemos que esses atletas em seus clubes, estão submetidos a uma equipe de nutrição que (como constantemente temos visto) utiliza de conceitos errados e ultrapassados. São raros os casos contrários a isso.
    2 - Os atletas, no retorno de suas férias, (de novo em sua maioria) volta acima do peso, demonstrando que a falta de exercício e o excesso de alimentação os fez aumentar suas medidas.
    3 - A maioria deles, podemos sempre estar vendo nos noticiários, frequentam bares, restaurantes, pizzarias. Ou seja, não estão mantendo uma rotina alimentar que contribua a uma boa forma física.

    Cabe aqui uma observação: O ano passado, durante o período da Copa, vi uma matéria na TV com a nutricionista da seleção brasileira dizendo que sorvete estava no cardápio dos jogadores diariamente.

    Agora a pergunta:

    Utilizando atletas como exemplo. Como não associar a sua forma física ao rítmo de treinamento físico que eles executam ?

    ResponderExcluir
  2. Bem colocado, Ralph.

    Eu acredito que atletas são "selecionados" entre aquelas pessoas que naturalmente não engordam com facilidade. São o que o professor Tim Noakes chama de "resistentes a carboidratos": podem comer carboidratos e não engordam facilmente, ao menos na juventude (talvez depois dos 40 isto aconteça, mas aí deixarão de ser atletas).

    Quanto mais aeróbico e dependente de peso for o esporte, mas resistente a carboidrato o atleta tem que ser para ser competitivo naquele esporte. Os maratonistas de elite quenianos comem proporções absurdas de carboidratos, mas não engordam e acho que não engordariam muito mesmo se não treinassem para maratona (neste caso, apenas comeriam naturalmente menos).

    A equipe de nutrição pode ter conceitos errados, mas de alguma forma impõe certo controle sobre os atletas. E este controle em geral implica em comer menos carboidratos.

    Mesmo frequentando bares, restaurantes, pizzarias, se for "resistente a carboidratos", não vai necessariamente engordar. Mas sabemos de casos de alguns atletas (ex. Adriano) que não conseguiam manter o peso, mesmo treinando profissionalmente.

    E, claro, estamos falando de uma pequena minoria da população. As pesquisas do vídeo são feitas tendo em vista (e usando como sujeitos) a população em geral. Acho que o Balu pode comentar mais sobre um livro que eu não li, mas que fala sobre como a questão genética é fundamental no esporte de elite: The Sports Gene, de David Epstein.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas partindo do princípio da "resistência aos carboidratos", a questão sobre a pausa de exercícios durante as férias não deveria causar alterações significativas, certo ? Penso que as equipes nutricionais desses atletas devam traçar planos alimentares baseados em calorias.

      Excluir
    2. Bem, se o atleta comer bem mais carboidratos durante as férias, pode ser que cause sim. Não é que estas pessoas não engordem de forma alguma comendo carboidratos, mas que para elas é mais difícil engordar.

      Excluir
    3. Eu acho que de tudo que falaram (não desvio uma vírgula porque concordo com tudo!) é que uma explicação adicional do porquê alguns ex-atletas engordam desproporcionalmente é que o exercício comprovadamente altera nessa sensibilidade à glicose, vc precisa de MENOS insulina para fazer uso dela, vc usa a glicose sem ter insulinemia disparando menos o mecanismo de armazenamento de gordura porque um treinado tem mais GLUT4 nas membranas musculares porque é o resultado do treinamento. É por isso tb que pedimos que diabéticos treinem, para que ele possa usar glicose sem precisar de insulina (que ele não produz ou não reconhece naturalmente). Era isso! Abrax

      Excluir
  3. Muito Obrigado. Sempre aprendendo com vocês. Respondido.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! Não uso verificação de palavras.

Receba as postagens deste blog por email