terça-feira, 9 de setembro de 2008

Novo índice destaca universidades públicas como as melhores do PR

As seis instituições melhor avaliadas são gratuitas

Por  Josianne Ritz

O novo  Índice Geral de Cursos da Instituição (IGC), novo indicador de qualidade de instituições de educação superior, divulgado ontem, pelo Ministério da Educação (MEC) revelou um quadro nacional bem diferente do paranaense.  Das dez primeiras instituições de todo o País, só aparecem duas públicas: o ITA, em quinto lugar, e Unifesp, ocupando o sétimo. As quatro primeiras escolas da relação são privadas; três da FGV (Rio e São Paulo) e uma de Campinas, a Faculdade de Odontologia São Leopoldo. USP e Unicamp não tomaram parte na avaliação. Já no Paraná, as seis universidades mais bem colocadas são públicas.
A Universidade Estadual de Maringá (UEM) foi a instituição que recebeu  a "nota" mais alta no Paraná: um índice de 341, seguido da Universidade Estadual de Londrina (UEL), com índice 331.

Empatadas em terceiro lugar estão a Universidade do Oeste (Unioeste) e a Universidade Federal do Paraná (UFPR), com índice  de 317. Em quarto lugar, aparece a Universidade Federal Tecnológica Federal (UTFPR), com IGC 299. Entre as universidades particulares paranaenses, a Universidade Positivo alcançou o maior índice: 281, seguida da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), com 271, e da Universidade Tuiuti (UTP), com 221.

Entre os Centros Universitários, um paranaense ficou entre os dez melhores do País. O Centro Universitário Franciscano do Paraná (Unifae), com sede em Curitiba, recebeu o índice 338, o que lhe colocou em sexta colocação nacional. Tanto entre as universidades, como nos centros universitários, nenhuma instituição recebeu nota menor que 206 — recebida pela Unipar.  Ou seja todas elas ficaram com a faixa de IGC 3 e 4 — consideradas médias, mas nenhuma alcançou a faixa de IGC5.

O estudo do MEC analisou os conceitos de 173 universidades, 131 centros universitários e 1.144 faculdades isoladas e integradas. O IGC sintetiza, para cada instituição, a qualidade de todos os seus cursos de graduação, mestrado e doutorado, distribuídos na totalidade de campi e municípios onde a instituição atua. No cálculo do indicador, são utilizados a média dos conceitos preliminares dos cursos da instituição (CPC) – componente relativo à graduação – e o conceito fixado pela Capes para a pós-graduação. A média dos conceitos dos cursos é ponderada pela distribuição dos alunos entre os diferentes níveis de ensino (graduação, mestrado e doutorado). O resultado final está em valores contínuos (que vão de 0 a 500) e em faixas (de 1 a 5).

Para esta primeira divulgação do IGC, foram utilizados os CPCs referentes às edições do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) no período de 2005 a 2007. Esse indicador de cursos considera, além de resultados de avaliação de desempenho de estudantes, infra-estrutura e instalações, recursos didático-pedagógicos e corpo docente.
A nota da Capes é referente à avaliação do triênio de 2004 a 2006. O IGC de cada IES do Brasil será divulgado anualmente pelo Inep/MEC, sempre em momento imediatamente posterior à divulgação dos resultados do Enade e do CPC.

Fonte: http://www.bemparana.com.br/index.php?n=80896&t=novo-indice-destaca-universidades-publicas-como-as-melhores-do-pr

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! Não uso verificação de palavras.

Receba as postagens deste blog por email