domingo, 23 de agosto de 2015

Camiseta de Corrida é anti-ecológica!

Quase todas as corridas no Brasil entregam, para quem paga a inscrição, uma camiseta. Geralmente é uma camiseta de um tecido "tecnológico". Isto é, não é de algodão. É de poliamida ou algo parecido. Acredito que a maioria dos corredores usa a camiseta no máximo algumas vezes e depois descarta. Eu mesmo tenho uma pilha de camisetas, muitas das quais nem usei. É anti-ecológico! Muitas camisetas são tão ruins que nem para doar servem. Outras fedem com pouco uso. E as camisetas que são boas muitas vezes são desnecessárias. Todo corredor experiente já tem uma infinidade de boas camisetas.

Além do mais, em geral as camisetas são muito feias. Algumas por cores berrantes, que me incomodam. Outras são só feias mesmo (ver fotos abaixo).

Uma das camisetas mais feias de todos os tempos. A que simulava um pijama, da Corrida Noturna Unimed 2013.


Exemplo de camiseta de corrida. Foto do blog do Fabio Namiuti.


Lá no CorrridasPR (página muito boa com listagem de corridas em todo o Paraná), levantei esta questão nos comentários de um post. Uma solução apontada foi ter pelo menos a opção de inscrição sem camiseta, com custo menor. Não sei o que os organizadores acham disso.

Por que decidi escrever este post? Porque acabei de assistir ao filme The True Cost (tradução: O Custo Real). É um filme fantástico! ★★★★★

O filme conta quase todos os podres da indústria da moda. Desde a produção de algodão usando transgênicos e agrotóxicos (o que levou a mais de 250 mil suicídios de agricultores só na Índia e a muitos casos de câncer em fazendeiros americanos), passando pela quase escravidão dos funcionários das fábricas em Bangladesh (só num acidente, mais de 1000 mortos numa fábrica), Camboja, China, Índia, e terminando no estímulo ao absurdo ao consumismo da Fast Fashion em que quase toda semana tem novidade nas lojas.

Minha "solução", isnpirada pelo filme: se a corrida for dar camiseta, que seja opcional e que seja de algodão orgânico e produzida de forma sustentável. O que você acha?



Veja aqui a ficha do filme no IMDB, a conta do filme no Twitter, e abaixo o trailer do filme.  


PS: Comentário pertinente do Leonardo Liporati lá no Google Plus:


A solução pessoal foi diminuir o número de provas. Fui hoje no quarto evento do ano. Um deles deu camisa de algodão. Mas há outras coisas anti-ecológicas: chip descartável. Este e o número vieram dentro de um plástico. Desnecessário. Foi direto para o lixo. Aqui não tem coleta seletiva.

Ele também postou o seguinte sobre o excesso de medalhas:




5 comentários:

  1. Porra, quero ver esse filme. Material de excelente reflexão!
    E concordo com o lance das camisas. Já recebi inúmeras que nem tirei do saco e doei a amigos, assim com as das corridas ditas humildes, preferi nem retirar e deixei com a ONG ou instituição que a promovia para que ela repassasse para beneficiários menos favorecidos que eu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Ivan.
      O filme já pode ser visto lá no site: http://truecostmovie.com/

      Excluir
  2. Adolfo,
    acho ótima a sua idéia. Perfeita.
    Eu nunca corri muitas provas, mas por algumas vezes, vendi as camisetas das provas.
    Dava uma graninha e o povo compra. Cheguei a vender medalha, vc acredita? KKK
    Mas, eu aprovo totalmente.
    Sem camisa, sem água e sem medalha. Seria ótimo.

    Andre Cruz

    ResponderExcluir
  3. E toda a producao de lixo relacionada à hidratação e à alimentação? Alguem ja calculou o lixo gerado em uma prova de 2 mil corredores, é tudo cheio de embalagens, incentivando o desperdício

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! Não uso verificação de palavras.

Receba as postagens deste blog por email