quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Morte numa Corrida de 10K em Curitiba

Neste domingo (18/08/2013), um senhor de 51 anos morreu durante¹ a corrida de 10Km da Adidas em Curitiba-PR.  Segundo as notícias, foi um infarto. Não o conhecia pessoalmente. Condolências à família.

Esta morte (que não é a primeira nem provavelmente será a última nas corridas de rua no Brasil) faz-me lembrar de alguns pontos colocados por Phil Maffetone:
  • Estar em forma e ser saudável é a mesma coisa²?
  • Em treinos e provas de corrida você deve sempre dar o seu máximo?

Maffetone responde não para ambas as questões (leia um texto recente dele sobre o tema). Eu quero concordar com ele. Tranquliza-me acreditar que se eu não abusar nos treinos (isto é não treinar intenso demais e/ou longo demais), controlar o stress do dia-a-dia, alimentar-me bem e respeitar os sinais do meu corpo, estarei seguro nas provas.

E você, o que acha?




¹ - Não tenho certeza absoluta se foi antes, durante ou depois. Acho que foi próximo à chegada. Mas nenhum dos links abaixo esclareceu este ponto:
² - Não estou dizendo que o atleta em questão não era saudável. Como disse, não o conhecia. Só estou aproveitando a notícia para levantar um ponto que me preocupa.


12 comentários:

  1. Adolfo,

    Este foi um acontecido que me preocupa, nunca tinha visto alguém morrer fazendo provas de 10 km, esta prova eu fechei em 44:01 e vi a ambulância saindo com ele.

    O que me deixa pensativo é que nas notícias que li sobre o ocorrido, elas faram de uma pessoa que treinava regularmente (com personal trainer), fazia dieta e era saudável, inclusive já tinha feito provas de maratona.

    Então o que pode ter ocorrido? Uso de substâncias como DMAA, arritmia cardíaca ou um enfarto não previsível, simplesmente não sei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João,

      São muitas as possibilidades. O que acho importante é destacar que há uma certa cultura do extremo entre alguns corredores e isso não é bom. Tem quem ache legal terminar a corrida e vomitar. Acha que só assim deu tudo o que poderia ter dado. Eu discordo. Acho que sempre devemos terminar a prova com uma sensação boa.

      Abraços,
      Adolfo

      Excluir
  2. Adolfo,
    Penso que morrer fazendo o que gosta é um privilégio. Mas é inadmissível quando os organizadores das provas, por questões pecuniárias, privam, em caso de necessidade, o atendimento IMEDIATO aos participantes da corrida. Infelizmente já presencie vários casos assim aqui em Minas Gerais.
    Concordo que preparo físico e saúde são duas coisas distintas e que essa confusão pode acabar em tragédia; mas há quem sabe e corre o risco... Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alhures,

      Não quis entrar nesta questão que é mais externa. Preocupa-me mais a questão interna. O que eu posso fazer? Mas a questão do atendimento médico é importante sim e foi abordada pelo Luizz aqui: http://www.corridasdoluizz.com.br/2013/08/mais-uma-morte-em-corridas-de-rua-sem.html

      Abraços,
      Adolfo

      Excluir
  3. Só há um pré-requisito para morrer: estar vivo. Todos os outros são irrelevantes. Parafraseando o famoso escritor inglês: "Há mais coisas entre a vida e a morte, Adolfo, do que sonha a nossa vã medicina"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leonardo,

      Concordo, mas acho que a humanidade sabe muito mais do que usa. Certos problemas poderiam ser evitados.

      Abraços,
      Adolfo

      Excluir
  4. lembro que em campinas em 2010, em uma corrida também morreu um atleta muito jovem, lembro que também no estadio do palmeiras um socio estava praticando esporte, e também veio a falecer de um ataque fulminante, só que esse atleta de 50 anos era um medico cardiogista.e ai fazemos o que.só morre quem está vivo meu amigo, e dessa ninguém escapa.o homem lá de cima ninguém compra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bonde,

      Infelizmente a maioria dos cardiologistas entende muito pouco de como cuidar da saúde, principalmente da própria. Alguns são ótimos para identificar doenças, só isso.

      Abraços,
      Adolfo

      Excluir
  5. Bom levantamento Adolfo.
    Mesmo não sendo tão rigoroso quanto você, procuro regra-me em alguns aspectos para que a vida seja melhor vivida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz,

      Não sou tão rigoroso assim. Apenas tenho um "esquema" diferente :)

      E ficou legal seu post sobre o mesmo assunto: http://www.corridasdoluizz.com.br/2013/08/mais-uma-morte-em-corridas-de-rua-sem.html

      Abraços,

      Adolfo

      Excluir
  6. O conceito de abusar em treinos é complicado. Você quis dizer em volume, intensidade ou falta de descanso? Acho que apenas o overtraining é nocivo uma vez que somos orientados a dar quase 100% de nós nos tiros em alguns treinos de ladeiras, e maratonistas elite levam as provas em FC assustadoras... Acho que condicionamento físico é um processo constante e muitos corredores, principalmente das corridas mais badaladas que pouco orientam seus praticantes quanto a preparação para as mesmas, acham que estar prontos para um RP é correr que nem um bicho apenas no dia da prova.
    Mas é complicado... Não dá para julgar fácil assim! Eu prefiro estar confortável em dizer que faço nos treinos o necessário para que nada que aconteça nas provas seja surpresa a mim.

    www.runnerhostil.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Runner,

      O meu conceito (que não é meu, mas do Sock Doc e do Maffetone - eu apenas uso) de abusar em treinos é bem simples. Pode ser em qualquer coisa: volume, intensidade, falta de descanso, excesso de estresse na vida, etc.

      Onde você conseguiu dados de FC de maratonistas de elite?

      Só a própria pessoa pode julgar com certeza. Eu sei quando abusei.

      Abraços,
      Adolfo

      Excluir

Deixe seu comentário! Não uso verificação de palavras.

Receba as postagens deste blog por email