domingo, 3 de março de 2013

K21 Curitiba - Fotos e breve relato



Medalha da K21 Curitiba 2013
Hoje participei da K21 Curitiba. Foram "só" 21Km (se bem que meu GPS registrou 23), mas com uma variação de altimetria que nunca corri (ver nas figuras abaixo - clique na figura para aumentar).

Altimetria no Linha de Chegada

Altimetria no RunKeeper, junto com a variação de ritmo
A altimetria é simplesmente cruel. Veja o que meu GPS registrou em em http://supere.se/3pp
Andamos (os do meu ritmo) em vários pontos. Tudo normal, dentro do esperado. O que não foi normal foi faltar água. Não sei dizer se tinha água em todos os pontos prometidos pela organização (atualização: soube de fontes confiáveis que não tinha!). Talvez até tivesse. Mas foi pouco. Ficamos (eu e outros corredores) com bastante sede. O calor estava de rachar.

Tempo: 3h16min35segs. Nesta figura dá para ver como meu ritmo variou ao longo da prova, junto com a altimetria.
Minha variação de ritmo e altimetria na K21 Curitiba


Quase toda a prova fiz ao lado do amigo Adilson Pereira. Antes da prova encontrei a Vivian Dombrowski e o André Tarchiani Savazoni. Durante a prova, a Cleia (do Amigos da Corrida de Curitiba). E, no fim da prova, o Tony Tows.


Mais informações:

Fotos da Corrida tiradas por Tony Tows:

Eu depois da corrida, com a medalha

Tony Tows






Fotos do Congresso Técnico e da Expo:












Eu e André Savazoni (Revista Contra-Relógio), após o Congresso Técnico.


Kit da K21 Curitiba



28 comentários:

  1. grande prova, grande altimetria rs rs
    queria muito participar, não encaixou no calendário, acabei optando pelo K21 em Arraial. Abraço

    ResponderExcluir
  2. O pessoal se superou, imagina um K42 nesse percurso? hehehe
    Abraço Professor.
    Diego
    http://correrparacrer.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá louco! rsrs

      Até o Giliard, grande campeão das K42, achou difícil o percurso:


      http://www.youtube.com/watch?v=mKsIPK19Ogw


      Excluir
  3. Sobre a falta de água, alguns comentários no Facebook:

    "No regulamento constava postos de água a cada 3km. Não tinha. Mas ate aí vai... Na transição das duplas ja não tinha mais agua pra subir o morro...na descida idem... Pelo menos qdo passei...e dps só vi uma distribuição de isotonico em sacolinhas. Fui ver agua de volta chegando no parque..km19, acho. Eu não vi esse local com garrafas de água, então não posso falar nada. Mas se tinha e não foi disponibilizado, aí já é outra situação."

    "Eu estava aqui pensando, então deixa eu perguntar: corrida com patrocínio das Águas Ouro Fino e faltou água????"


    "A reclamação geral no fim da corrida era a falta de água!! E em uma corrida como estas que não tem a população tentando suprir o erro dos organizadores (como a Rio Mafra), acaba sendo muito ruim."

    "Realmente faltou água, principalmente no final daquelas subidas monstro.."

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, Adolfo. Completar uma prova que tem um quilômetro com 159 metros de desnível (fora todo o resto, claro), é uma verdadeira façanha.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Adolfo, eu tbm senti muito a falta de agua. Passei pelo posto do KM6 e já havia esgotado e com certeza não haviam postos a cada 3km. Foi a prova mais dificil da minha vida, nunca vi altimetria parecida com essa. Concluí a prova com mais do dobro do tempo que fiz a minha última meiae tive fortes caimbras depois da prova (ainda bem!).

    Quanto a quilometragem do percurso, o meu (Nike Sportwatch) marcou até um pouco mais de 23km e todos com quem conversei, com gps de outras marcas com Garmin por exemplo, tbm marcaram 23km.

    Eu ainda acrescentaria o ponto que a subida na trilha, entre o KM 16 e 17 (na contagem da prova) precisava ter uma corda de apoio pois além de estreito e escorregadio, o trecho era muito ingreme e muita gente foi parando para descanserusive) dificultando ainda mais a passagem.

    Contudo, foi emocionante ver as pessoas chegando depois de todo o sacrificio, ver a galera apoiando durante o percurso, superando cada um seus propios limites. É uma sensação indescritivel trabalhar numa segunda feira depois de ter concluído uma prova dessas. Dor e satisfação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo, Gustavo. Concordo!

      Abraços,

      Adolfo

      Excluir
  6. Parabéns a quem completou,mas pelo relato, uma prova desse nível com preço tão elevado é um crime não ter água.
    Pra mim, isso é pior que erros de 100 metros no percurso de corrida de rua.
    Perdi a vontade de correr uma aventura dessas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luiz,

      De fato, bem alto o preço. Mas valeu a pena.

      A questão da água é complicada mesmo. A Naventura se defendeu no site dela, dizendo que não foi bem assim.

      E algumas pessoas sugeriram simplesmente não ter água em copo lacrado no percurso.

      Abraços,
      Adolfo

      Excluir
  7. Grande Adolfo.
    Essa prova foi sensacional. nível técnico altíssimo além de um percurso desafiador. todos que completaram são verdadeiros campeões.
    Um abraço
    Rafael Marrone
    marroneocorredor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Pelo visto a montanha russa é invenção nossa. Que altimetria!
    Parabéns por completá-la.

    ResponderExcluir
  9. Olá Adolfo, também corri a K21 Curitiba, minha primeira prova em montanha, sofri com a falta de água, especialmente na segunda metade e o que falar da subida do segundo morro? Sem dúvida um dos trajetos mais difíceis que já enfrentei. Apesar do sofrimento foi muito recompensador, o clima entre os participantes é de muita união e incentivo mútuo, muito diferente da competitividade das provas de rua, sem falar no visual que é incomparável. A adrenalina de ter conquistado um desafio desse nível me deixa mais motivado para enfrentar as próximas corridas de aventura. Com certeza estarei na k21 Ilha do Mel!!!
    Parabéns a todos os “corredores/guerreiros” que venceram este desafio....
    Abraço
    Bruno Barbosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno,

      É isso mesmo.
      Também estou pensando em ir na K21 Ilha do Mel.

      Abraços,

      Adolfo

      Excluir
  10. Adolfo vendo o seu tempo final nesta k21 da para notar que foi um grande desafio mesmo hein...Agora e um absurdo numa prova dessa faltar água isso é brincar com a saúde dos corredores, ainda mas fazendo o calor que fez...Vcs são uns campeões...Parabéns....

    Jorge Cerqueira
    www.jmaratona.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jorge,

      Obrigado!

      Abraços,

      Adolfo

      PS: a organização se defendeu das acusações de falta de água aqui:
      https://www.facebook.com/CurtaNaventura/posts/162835540539128

      K21 Curitiba Half Adventure Marathon 2013

      Nota de esclarecimento sobre algumas situações ocorridas na K21 Curitiba Half Adventure Marathon 2013.

      Foram disponibilizados 7 postos de hidratação com água e 1 posto com isotônico. Em cada ponto destes foram disponibilizados entre 2 a 3 copos de água por atleta, quantidade oferecida em outras provas organizadas pela mesma e que sempre foram suficientes. Devido ao forte calor, este consumo aumentou pois a maioria dos atletas utilizou a hidratação para se refrescar jogando água na cabeça. Outra reclamação foi a distância entre o penúltimo e último posto de hidratação, que devido a problemas de logística, ficaram espaçados cerca de 5km, quando deveria ser de 3,4km, conforme o anunciado anteriormente. Vale enaltecer que a Naventura Mkt, Esporte e Turismo, organizadora da K21 Curitiba, é ainda, uma das poucas organizadoras que oferece hidratação no percurso em suas provas. Lamentamos pelos atletas que foram prejudicados por isso.
      Em nenhum momento foi divulgado que haveria hidratação no alto dos morros. A localização dos postos de hidratação foi comunicada com antecedência e foi um equivoco dos atletas esperar receberem água nos pontos mais altos da prova.
      Houve sim alteração no percurso anteriormente divulgado. Esta alteração foi comunicada no Congresso Técnico. A Organização fez todo o percurso e pela medição oficial, teve 21,9km. Vale salientar que GPS variam e trechos de mata fechada dificultam e influenciam na transferência de dados.
      Uma meia maratona em montanha com desnível acumulado acima de 800mts não é indicado para iniciantes. A oferta desta prova é óbvia que exige preparo e experiência, não há necessidade da organização comunicar que não é indicada a iniciantes. Para estes havia o revezamento ou então a prova curta.
      Não houve abandono, como alguns relataram. Corredores de Rua estão acostumados a ver fiscais a cada quadra. Em corrida off road, é normal os atletas percorrem trechos sozinhos, muitas vezes longos. Além da sinalização nos pontos de riscos, haviam 2 Socorristas no percurso. Um deles estava na descida do Morro da Palha e outro na subida do segundo morro, dentro de um vale. Estes dois pontos eram os críticos. Além disto haviam 2 UTIs Móveis com Médico e Socorristas. Uma delas na chegada e outra no percurso. Vários fiscais estavam com rádios HTs, veículos circularam pelo percurso e um quadriciclo acessava os trechos mais técnicos, inclusive este mesmo quadriciclo foi utilizado para reabastecer alguns postos de hidratação afim de minimizar a falta de água.
      O evento K21 Curitiba teve uma estrutura acima da média dos eventos de off road nacionais. Kit Atleta diferenciado e de muita qualidade inclusive com almoço pós prova. O local da prova foi unanimemente elogiado, a sinalização e segurança foram condizentes e suficientes. O percurso foi escolhido detalhadamente para oferecer desafio e belas paisagens, como uma corrida em montanha deve ser. Os atletas receberam um medalhão de Finisher e os vencedores foram premiados com um grande troféu personalizado. O pós prova teve isotônico, mesa de frutas e produtos naturais a vontade.
      Não faltou planejamento e tão pouco boa vontade por parte da Organização em oferecer um evento de qualidade aos atletas, e sim imprevistos que podem ocorrer em qualquer grande evento.
      A Organização agradece a presença de todos e principalmente o reconhecimento da grande maioria pela bela prova oferecida.

      Kleber Ricardo Pacheco - Naventura Marketing, Esportes e Turismo.

      Excluir
  11. Sem água é duro mesmo.
    Era mais fácil avisar que não tinha e cada um se virava para levar a sua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ACHO FALTA DE RESPONSABIOLIDADE UMA ORGANIZAÇÃO DE PROVA DIFICIL COMO ESTA, DEIXAR FALTAR O BASICO:AGUA!

      Excluir
    2. André, concordo. Melhor cada um levar a sua.

      A organização da prova se defendeu. Ver comentário acima.

      Excluir
  12. A falha de hidratação foi da organização e não do patrocinador.

    ResponderExcluir
  13. Parabens pelas informações aqui repassadas. Vç. é muito organizado, até mais que a organização.

    ResponderExcluir
  14. Eae Adolfo,

    Eu também estava lá:
    http://run2b.com.br/2013/03/03/k21-curitiba-2013/

    Valeu a pena :)
    Nos vemos por aí...
    Vai na 1a etapa do circuito paranaense de montanha(naventura)?
    Abs
    fabiojapa
    http://run2b.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fabio,

      Infelizmente não estarei na 1a. etapa.

      Abs
      Adolfo

      Excluir

Deixe seu comentário! Não uso verificação de palavras.

Receba as postagens deste blog por email