quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

O que penso em fazer em 2016? Corrida, Parkour, MovNat...

O ano de 2016 começou e continuo treinando. Não fiz nenhuma pausa de fim de ano (exceto para uma curta viagem à minha terra natal), como fiz em anos anteriores, pois não treinei pesado nos últimos meses.

Em 2016, com relação a corrida, não tenho objetivo de fazer nenhuma prova em especial. Vou fazer o que aparecer e o que der vontade de fazer. Acho difícil que faça uma maratona. Talvez corra uma meia maratona ou uma prova de 10 milhas. Mas a verdade é que no momento não estou com vontade de correr nem prova de 5 quilômetros. No momento, provas só de corrida me parecem tão chatas...

E também não estou com vontade de participar daquelas provas de obstáculos (já tem várias aqui na região). Não acho muito natural e geralmente são bem caras. Mas posso mudar de ideia.

Talvez eu organize alguns Treinos-no-Parque (parkruns não oficiais). Para isso vou depender de estímulo e apoio dos colegas corredores da região. Se bem que, para que uma parkrun seja bem-sucedida, basta um corredor e um voluntário.

Um outro objetivo é treinar mais Parkour na nova sede da única Academia de Parkour de Curitiba, a Ponto B. Tive sorte pois eles mudaram-se para um novo endereço (Av. Visconde de Guarapuava, 3577 – Centro – Curitiba, PR) e fica bem perto de onde trabalho. Conheci o Cassio, um dos fundadores da Academia, no fim do ano passado lá na UTFPR. É uma pessoa séria, que está sempre se atualizando, e apaixonada pelo Parkour.  Ele defendeu seu mestrado em 04/12/2015.

Um dos meus objetivos em relação ao Parkour é não exagerar. Quando a gente começa se estimula demais com as capacidades adormecidas do corpo, e pode se machucar. Quero fazer um Parkour de Baixo Impacto, pois já não tenho mais 19 anos (que parece ser a idade média dos traceurs, isto é, dos praticantes de Parkour).

Na verdade não me considero um traceur. Sou apenas uma pessoa que busca incorporar ideias do Parkour, do MovNat, da Calistenia, do Primal Fitness, e de qualquer coisa que achar interessante, na minha rotina de exercícios.

Tento fazer da minha rotina o mais aleatória possível, seguindo os princípios de Antifragilidade de Nassim Nicholas Taleb. Mas tento tomar cuidado com os acidentes (que acontecem, mas podem ser minimizados) e com o impacto.

PS:

Alimentação: pretendo continuar com uma dieta paleo rica em gordura, relativamente pobre em carboidratois (LCHF - low carb high fat), mas não cetogênica, não buscando estar em cetose. De vez em quando abro exceções. Nada de radicalismos. Até gostaria de ser mais radical, mas não sou.

Minimalismo e corrida descalça: Quero tentar correr mais descalço em 2016 do que corri em 2015. Pretendo continuar usando calçados minimalistas em várias ocasiões mas em 2014 e 2015 corri muito pouco descalço de fato.

Paripueira, Alagoas

Mureta baixa para treinar Parkour de Baixo Impacto

Corrimão de ferro no Parque Barigui para treinar cat walk.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! Não uso verificação de palavras.

Receba as postagens deste blog por email