segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Medico Luiz Schirmer (assunto do Globo Repórter de 29/01/2010) sobre como trata os pacientes

(...)

O paciente que voltou para uma nova consulta ficou impressionado. Schirmer lembra o nome de todos os pacientes, diz que não os trata como um número.

"Eu exerço a medicina como uma profissão humana. Se eu atendo uma criança, eu sinto que aquela criança é o meu netinho. Se é uma pessoa de meia idade, eu imagino que é o meu filho. Se é uma pessoa da minha idade eu imagino que é meu irmão. E eu sinto que a pessoa sente esta empatia", diz Schirmer.

(...)

Fonte: http://bit.ly/aNnovW

Mais sobre Luiz Schirmer em: http://bit.ly/bIosDi

Paco, ser pára-quedista, militar ou civil é uma experiencia maravilhosament e gratificante. Ninguem melhor que eu para dizer. Filho de família pobre do interior de Minas Gerais, fui para o Rio de Janeiro com 10 anos . Comi o pão que o diabo amassou. Aos 17 anos eu era semi analfabeto e entregava compras de um armazem cujo dono era um Portugues que dizia estar me ajudando . Não me pagava salário algum e ficava com a metade da gorjeta que eu ganhava. Belo dia vi um caminhão do exército parar junto a uma das grandes palmeiras existentes da rua Paisandu, no flamengo e encostar nela uma pequena escada. Parei para observar,pensando que ele iria cortar a palmeira. Lógico que o soldado não fez isso. Apenas afixou nela um cartaz que mostrava um soldado saltando de paraquedas e umas frazes escritas. Não consegui ler, fiquei curioso. Por sorte passava um amigo e pedi que ele lesse para mim.

SÊ PÁRAQUEDISTA E ORGULHA-TE DE TI MESMO. DOS CÉUS TEU HORIZONTE É MAIOR E TUA PÁTRIA É MAIS TUA. TROPA DE VOLUNTÁRIOS. APRESENTA-TE NO PR-20 EM DEODORO- VILA MILITAR DE 30 DE NOVEMBRO A 10 DE JANEIRO

Falei com o soldado. Pensei que se conseguisse entrar minha vida estaria resolvida, teria roupa ( Farda ) casa ( Alojamento ) e comida e incrível, ainda receberia um soldo.

Apresentei-me, consegui, fui matriculado compulsoriament e na Escola Regimental Rosa da Fonseca, na Vila Militar, onde após a lida diária fui aprender a ler e concluí o curso primário. Fui promovido a Cabo,Fiz o Artigo 99 e concluí o ginásio, promovido a 3° Sgt, Fui o primeiro Campeão Brasileiro de Paraquedismo em 1964, realizei no exército mais de 1000 saltos Fui um dos sgts mais especializados do exército, Mestre de saltos, Comando, Dompsa, Especialista, Forças Especiais etc. Aos 26 anos fui o Sub tenente mais jóvem do exército.Continuei os estudos, Estudei medicina fiz concurso e entrei para a Escola de Saúde do Exército, 1° Tenente Médico,3 anos depois Capitão. Neste tempo continuei sempre saltando como civil num clube que fundamos OS Meteóros

Como podes ver, minha vida começou com o pára-quedismo.

Assim que aprendi a ler, lí o que estava escrito bem grande na entrada do quartel

QUERER É PODER

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! Não uso verificação de palavras.

Receba as postagens deste blog por email